Os Artistas

Iroko Trio

ELODIE BOUNY Elodie Bouny cresce em Paris onde efetua um percurso de estudos clássicos completo focado no estudo do violão erudito no Conservatório de Boulogne (Paris); ela obtém seu Diploma Final com menção mais alta por unanimidade (2000).Ela é mestre em educação musical pela Escola de Musica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2012). Aperfeiçoa-se seguidamente com Pablo Màrquez no Conservatório de Estrasburgo, onde encontra a oportunidade de alargar sua cultura e de abrir o seu campo de trabalho em especial à música antiga, e as músicas improvisadas. Termina este segundo percurso e se forma em 2005 obtendo o seu D.E.M. (Diploma de Estudos Musicais). Durante estes anos de estudos, completa igualmente a sua formação seguindo numerosos master classes com personalidades eminentes e participa em aulas relacionadas com a música da América do Sul. Ela integra por alguns meses os cursos do Conservatório Nacional de Folclore de Buenos Aires dirigido pelo violonista Juan Falù. É laureada de vários concursos Internacionais: 3 ̊ Premio do Concurso ADMIRA, UK em 2001; 1 ̊ Premio do Concurso UFAM em 2003; 2 ̊ Premio do Concurso de Eschende (Holanda) em 2006, 2 ̊ Premio do Concurso AV-Rio (Rio de Janeiro) em 2009, 1 ̊ Premio do Concurso BRAVIO (Brasília) em 2009, 3 ̊ Premio do Concurso do Conservatório Villa-Lobos (São Paulo) em 2009. Elodie Bouny participa de vários festival como Guitarras del Mundo (Argentina; 2004 e 2005), Seis cordas para uma semana na Ilha da Reunion, Festival Internacional de Música Besançon, Jazzdor (Estrasburgo, França), Festival Jeunes Creations (Besançon; Francia)... Atualmente mora em Rio de Janeiro e desenvolve vários projetos artísticos, entre eles o Duo Ida e Volta (violão-flauta) com Letícia Malvares, apresentando um repertorio de musica sul-americana.Também, ela compõe para seu instrumento; em 2009, a sua peça “Et si le temps passe”, escrita sob encomenda para o violonista Gilson Antunes, foi publicada pela editora canadense Les Productions d’Oz. Tem Mestrado em Educação Musical (UFRJ, 2011). Desde 2012, ela é membro da Camerata de Violões (octeto de violões).Ela desenvolve uma atividade como orquestradora e tem escrito em parceria com o violonista e compositor Yamandu Costa as seguintes peças: -Concerto Passeios para violão de 7, acordeon e orquestra. (Estréia na Salle Pleyel com a Orquestra de Paris em dezembro de 2013 com regência de Kristjan Jarvi)-Concerto Fronteira para violão de 7 e orquestra de cordas (Estréia realizada em março de 2014 com a Orquestra do Estado de Mato Grosso, com regência de Leonardo Carvalho)Seu primeiro cd, Terra Adentro, dedicado ao repertório latino americano, saiu em 2011, com a gravadora carioca A Casa Produções e tem produção artística de Yamandu Costa. Ela é produtora artística dos seguintes CD’s: -Bordadeira (Beth Marques)/2010 -Mafua (Yamandú Costa)/2008 -Bailongo (Yamandú Costa e Guto Wirtti)/a sair em 2014 -Projeto Novas (Diversos violonistas brasileiros)/a sair -Projeto Novas 2 (Diversos violonistas brasileiros)/ a sair em 2014 com o selo NoMadMusic -Yamandu Costa e Orquestra de Mato Grosso (a sair)

CARLA RINCÓN Com consolidada carreira internacional, a violinista Carla Rincón acumula experiências que a tornaram referência na música de câmara latino-americana. Como solista e camerista, já pisou em palcos como Carnegie Hall e Sala Cecilia Meireles, além de se apresentar em diversos países da Europa, Ásia, África e Américas. Fundadora e primeiro violino do Quarteto Radamés Gnattali, Carla conquistou os prêmios Carlos Gomes e Rumos Itaú e foi indicada a outros como o Grammy Latino. Com o grupo, ela se tornou a primeira mulher a gravar todo o repertório para formação de quarteto de Villa-Lobos, o maior compositor brasileiro. Graduada pela North Carolina School of the Arts e mestre pela Universidade de Hartford, foi através do prestigiado El Sistema(Venezuela) que Carla iniciou sua carreira como musicista e educadora. Atualmente, é diretora artística e pedagógica da plataforma educativa Brasil de Tuhu, diretora musical e pedagógica do Instituto Zeca Pagodinho e diretora musical e professora no projeto Bem me quer. Carla Rincón compõe ainda o corpo docente de festivais e projetos, como o Festival de Inverno de Campos de Jordão, Mozarteum (Caracas) e o Corona Youth Music Project (NY). Além de seu intenso trabalho musical, ministra palestras, aulas e cursos de formação para professores no mundo todo.

"Having established a solid international career, the violinist Carla Rincón has also become a referential figure in Latin American chamber music scene. As a soloist and chamber musician, she has performed in venues as diverse as Carnegie Hall (New York City) and Sala Cecilia Meireles (Rio de Janeiro). She is the founder and principal violinist of the Quarteto Radamés Gnattali, and has been awarded several prizes, including the Carlos Gomes and Rumos Itaú, in addition to being nominated for the Grammy Latino. With the Quarteto Radamés Gnattali, she became the first woman to record the complete string quartets of Villa-Lobos, the greatest of all Brazilian composers. She graduated from the North Carolina School for the Arts and holds a master degree from the University of Hartford, part of a career that began at the prestigious El Sistema in Venezuela. She is currently the artistic and pedagogical director of the educational platform Brasil de Tuhu, the musical and pedagogical director of the the Instituto Zeca Pagodinho, and the music director and teacher for the project Bem me Quer. Carla Rincón is also in the faculty of several festivals and projects, including the Festival de Inverno de Campos do Jordão (Brazil), the Mozarteum of Caracas (Venezuela), and the Corona Youth Music Project (New York). In addition to her intense musical activities, she also presents lectures, classes, and professional training courses for teachers all over the world."

MARCELO CALDI O acordeonista, pianista, compositor, arranjador e cantor Marcelo Caldi é um dos músicos mais virtuosos de sua geração. Desenvolveu linguagem própria, que sintetiza suas variadas influências: passa do piano clássico à sanfona nordestina, e dos tangos de Piazzolla aos choros de Sivuca e Dominguinhos. Filho da pianista argentina Estela Caldi, transita com versatilidade entre música de concerto e popular. Fez arranjos sinfônicos interpretados por Elba Ramalho e pelas orquestras sinfônicas Petrobras, de Barra Mansa e do Recife, lançou o livro e disco Tem sanfona no choro (2012) e, em 2015, compôs Alma carioca, uma peça inédita para a Orquestra Petrobras Sinfônica, em homenagem aos 450 anos do Rio de Janeiro. Atuou ainda como solista em concertos com as sinfônicas Petrobras, OSBA, UFF e do Recife. Apresentou-se ao lado de grandes artistas como Gilberto Gil, Elba Ramalho, Chico César, Yamandu Costa, Hamilton de Holanda, dentre outros. Viaja realizando workshops, oficinas e palestras sobre temas como educação musical e sanfona brasileira em vários festivais do Brasil e exterior. Como arte-educador, Marcelo Caldi idealizou e dirige a Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro que, formada por 15 estudantes de acordeom, executa peças autorais e consagradas da música brasileira.

The accordionist, pianist, composer, arranger, and singer Marcelo Caldi is one of the most virtuosic and versatile musicians of his generation. He developed an individual style that synthesizes various influences, from the classical piano to the sanfona of northeastern Brazil, from the tangos of Piazzolla to the choros of Sivuca and Dominguinhos. The son of the Argentine pianist Estela Caldi, he moves with ease between the concert and popular repertoires. His orchestral arrangements have been featured in performances by Elba Ramalho and by the Orquestras Sinfônicas Petrobrás in Barra Mansa and Recife. He is the author of the book and disc combo, Tem sanfona no choro(2012), and in 2015 composed Alma carioca, a work written for the Orquestra Petrobrás Sinfônica to commemorate the 450 years of the city of Rio de Janeiro. Marcelo has performed as soloist in concerts with the Sinfônicas Petrobrás, the OSBA, UFF, and Sinfônica do Recife. He has also performed with artists such as Gilberto Gil, Elba Ramalho, Chico César, Yamandu Costa, and Hamilton de Holanda, among others. He has presented workshops, clinics, and lectures on subjects such as music education and the Brazilian accordion (sanfona) at various festivals in Brazil and abroad. As an art educator, Marcelo Caldi created and directs the Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro, an ensemble of 15 accordion students that performs iconic works from the Brazilian repertoire.