Os Artistas

Trio Opus 12

O Trio Opus 12 de Violões foi criado em 1977 por Paulo Porto Alegre, Oscar Ferreira de Souza e Clemer Andreotti, e foi o primeiro grupo brasileiro nessa formação. Realizou concertos por todo o Brasil conquistando uma plateia numerosa e consagrando-se como um dos mais importantes agrupamentos violonísticos da atualidade. Em 1982, gravou o seu primeiro LP “Trio Opus 12” com obras originais para trio de alaúdes e peças do período clássico e moderno, tendo sido reeditado no formato digital em 2013. Em 2006 gravou o CD duplo “Retratos de Radamés” com o Núcleo Hespérides de Música Contemporânea das Américas, com patrocínio da Petrobrás Cultural. Ao Trio foram dedicadas obras de diversos compositores, entre eles, Eduardo Fernandez, Guido Santorsola, Lívio Tragtemberg, Paulo Porto Alegre e Radamés Gnattali. Atualmente o Trio é formado por : Paulo Porto Alegre, Daniel Murray e Chrystian Dozza, e foi premiado com Proac 2014 para gravação de disco inédito de música instrumental, com um repertório contemporâneo de compositores violonistas brasileiros nascidos no inicio da década de 50 (Sergio Assad, Paulo Bellinati, Marco Pereira e Paulo Porto Alegre). Esses compositores tiveram em comum uma formação erudita e popular que os notabilizou como os mais importantes de sua geração, e que trouxeram uma nova ótica para música instrumental brasileira.

Paulo Porto Alegre Paulo Porto Alegre (1953, São Paulo|Brasil), violonista e compositor, foi vencedor do V Concurso Internacional de Violão Palestrina (1979), do III Concurso Internacional de Violão do Festival Villa-Lobos (1984) e Première Mention do Concours International de Composition de l’ORTF (Paris - 1986). Paulo é reconhecido pelo ecletismo de seu repertório, que vai do clássico ao contemporâneo, da música popular brasileira ao jazz. Foi solista com os principais regentes brasileiros e apresentou-se em diversos países como solista e camerista (Brasil, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha e China). Sua discografia inclui 2LP’s e 10 CD’s, sendo os dois últimos, ‘Varandeio’, disco solo autoral e Trio Opus 12: ‘Divertimentos’ – música brasileira para trio de violões, premiados pelo Proac 2012 e 2014. No ano de 2013, Paulo foi homenageado juntamente com Julian Bream no IV Festival Internacional de Violão Leo Brouwer, por sua importante contribuição ao violão brasileiro. É membro fundador do Núcleo Hespérides (Música Contemporânea das Américas), do Trio Opus 12 de Violões, e professor titular da Escola de Música do Estado de São Paulo e da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Daniel Murray Daniel Murray (1981/RJ), considerado um dos mais talentosos violonistas de sua geração, desenvolve uma ativa carreira como intérprete, arranjador e compositor. Apresenta-se como solista e em grupos de câmara no Brasil e no exterior ao lado de grandes músicos como: Paulo Bellinati, Chico Saraiva e Quarteto Tau, Trio Opus 12, entre outros. Tanto nas formações solo, camara e com orquestra apresentou-se com grande sucesso em todo o Brasil, na Bretanha-França, Italia, Dinamarca, Israel, entre outros. Gravou com o Trio Opus 12 de violões a Suite Retratos e Suite Brasileira de Radamés Gnatalli, em arranjos do próprio Radamés a eles dedicados, e em 2015 o CD Divertimentos premiado pelo Proac. Lançou seu primeiro CD solo “...universos sonoros para violão e tape...” (2008), Tom Jobim para Violão solo (2011), Autoral(2015) e Universos em Expansão (2015). Neste ano de 2017 lançou Brazilian Landscapes com a flautista dinamarquesa Michala Petri.

Chrystian Dozza Chrystian Dozza (1983-Machado/MG) tem se destacado como um dos mais importantes violonistas compositores da nova geração. Possui 3 CDs gravados; Songs from the Land (2006) , Fantasia Mineira (2010), e Despertar (2014) que contam com composições e arranjos próprios. Foi vencedor de importantes concursos nacionais como, Musicalis, Souza Lima e o Novos Talentos da Música Erudita. Dozza também obteve o prêmio de melhor instrumentista no XIV Prêmio BDMG Instrumental, um dos mais importantes prêmios da musica instrumental brasileira e foi um dos contemplados no Concurso de Composição para Violão Solo - Novas #2. Além de atuar como solista, Chrystian também exerce intensa atividade camerística com o Quaternaglia Guitar Quartet, um dos mais importantes quartetos de violões da atualidade e com quem realizou inúmeros concertos nos Estados Unidos, Canada, Europa, Australia e Brasil. Também é integrante do Trio Opus 12 de violões , ao lado de Paulo Porto Alegre e Daniel Murray. Chrystian Dozza é professor de violão da EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo.

http://www.pauloportoalegre.com http://www.danielmurray.com.br http://www.chrystiandozza.com.br